Paris - Parte 1

Eu sempre quis fazer um mochilão pela Europa quando eu era jovem! Mas depois dessa viagem, eu vi que a melhor coisa que fiz foi ter esperado. Com 30 anos acho que absorvo e entendo muito melhor o valor de uma viagem e aproveito muito mais dela. E além disso com 30 anos, você já tem amigas morando nas cidades que você quer visitar, o que te economiza muito dinheiro de hospedagem e de guia turístico! Então, jovens! Não fiquem chateados se não puderem ir agora passear pelazoropa, pode ser que mais tarde seja bem melhor. hehe.

Estive em Paris pela primeira vez, em dezembro de 2008 com um grupo de missionárias lindas. Estávamos a caminho do Senegal e ganhamos de presente, por questões de conexões, dois dias em Paris. Aconteceram muitas coisas naqueles dois dias, estava um frio de matar qualquer brasileiro, nosso hotel ficava bem longe da cidade, não deu tempo de irmos em nenhum museu e nos perdemos no Ano Novo no subúrbio de Paris as 2 da manhã. Hahaha! Eu ainda era jovem então eu achei tudo muito divertido, tirando as partes de medo e estresse.

Champs Elysees Dez/2008


Champs Elysees Set/2014

Dessa vez foi completamente diferente. Passei 10 dias deliciosos e tranquilos, aproveitando o fim da primavera e chegada do outono, que já trouxe frio suficiente para minha pessoa.
Fiquei na casa da minha querida amiga de colégio Camille, que mora na Cidade Luz há 5 anos. Vou falar para você que não há coisa melhor do que ficar na casa de uma pessoa que já mora no lugar, tudo fica mais fácil e fora que você aprende muito mais sobre a cultura do lugar e tal. Mas isso é um privilégio para poucos, por isso vim com tudo para aproveitar ao máximo dos amigos internacionais. Infelizmente não consegui visitar todos os meus amigos que moram na Europa, por que ainda não sou milionária, mas voltarei! Nina, Artur, Carol, Jeanne, me aguardem!

Nessa viagem aprendi que eu gosto tanto de viajar sozinha quanto acompanhada. Vi coisas boas nas duas experiências. Em Lisboa, eu tive uma guia diária que me levava para todos os lugares, me fazia companhia, comprava tickets do metrô, tirava minhas fotos, nem precisei pensar muito, minha vida tava uma moleza! hahaha! Delícia! Já em Paris, fui mais independente, pois Camille trabalhava todos os dias, então tive que ficar mais esperta, o que me forçou a prestar mais atenção em tudo e aprender ainda mais. Adorei as duas experiências! É muito bom conhecer as coisas com alguém, e poder compartilhar aquele momento, ter alguém que tire fotos suas, que te ajude a segurar as coisas, que divida a conta. Mas também é muito bom poder fazer o que você quiser, sem precisar se preocupar com horários, dividir passeios turísticos de preferência, ficar quantos minutos quiser olhando para um quadro, ouvir seus próprios pensamentos sobre o que você está vivendo, ler um livro, ouvir mais que falar, ficar com você mesma. Foi muito preciosa ambas as experiências.

Gratidão imensa à minha querida amiga Camille, pela hospedagem, pela companhia, pelas aulas de história, arquitetura, culinária. cultura francesa e tantas outras coisas. Foi muito bom estar com você!

Em breve farei outro post com dicas minhas (e da Camille) pra quando você for ficar esperto! haha.