Sobre ultras

Lendo o diário que minha mãe escreveu pra mim quando estava grávida, fiquei ansiosa para chegar na parte quando ela foi fazer a ultrassonografia para ver o relato dela sobre essa experiência que por fim, só aconteceu dois meses antes de eu nascer, e mesmo assim, a resolução da tela era tão ruim que ela não conseguiu confirmar se era mesmo uma menina que viria por aí.

Fico sempre muito surpresa e grata com esse avanço da tecnologia. Hoje, eu não consigo imaginar como seria viver uma gravidez sem as queridas ultrassonografias. Fiz a minha primeira ultra, que pra mim, até hoje, foi a mais importante delas, com 9 semanas de gestação. Quase que um mês depois que eu descobri que estava grávida. Estava muito ansiosa para saber se esse coraçãozinho batia forte, se aquela vida estava ali mesmo. Lembro que eu fiquei olhando para aquela tela, com aquela imagem esquisita, muito bolada (não consigo achar outro termo) por ver um ser ali dentro de mim. Felipe chorou, tirou foto e eu meio que ria muito de nervoso e pensava: "Caramba! Tenho dois corações batendo dentro de mim! Estou gerando um ser humano!" Gente! isso é muito sinistro! 

Depois disso, basicamente minha vida se baseia em ultras. hahaha. Só quero saber da próxima, e se eu fosse muito rica, arrisco a dizer, que compraria um aparelhinho daqueles para conseguir ver a criança todo dia se mexendo, coração batendo e tudo mais! Mas na vida real, por enquanto, faço ultras de mês em mês e cada uma delas tem uma importância específica e me conformo com os muito chutes e cambalhotas diárias que sinto por aqui.

A função da ultra, definitivamente, não é descobrir o sexo do bebê, mas é isso que eu passei a querer saber muito, quando vi que tudo estava indo bem com ele. No último mês, fiz uma que era mais de rotina mesmo e o médico deu o palpite que era uma menina, contrariando o primeiro palpite da ultra anterior que seria um menino. Achei o palpite do último médico mais coerente com os palpites e apostas em geral dos meus amigos, familiares and marido, e achei muito que era uma menina mesmo! Mas nessa última quinta (10/11), ao fazer uma ultra super importante nesse meio do caminho, chamada de morfológica, além de descobrirmos que estava tudo perfeito com o nosso bebezinho, descobrimos que seremos pais de um menino! E estamos muito felizes, principalmente em saber que ele está crescendo saudável, com as medidas todas certinhas. Que alegria!

Voltamos para casa, contando pra todo mundo que a ultra anterior e todos os palpites e feelings nos enganaram feio e que é o Noah que está chegando já já por aí. Depois fomos comemorar mais essa grande novidade na mais nova hamburgueria da cidade, com nossos corações muito gratos por esse privilégio tão grande que Deus nos concedeu. 

Tudo tão borrado, mas ao vivo é mais legal de ver e entender o que é o que! Juro! hehe

Tudo tão borrado, mas ao vivo é mais legal de ver e entender o que é o que! Juro! hehe

Nessa noite eu não consegui dormir bem. Não sei se por causa da falta de posição confortável, ou pela adrenalina de tantas novidades, da surpresa, do amor que cresce dentro de mim incontrolável por um ser que ainda nem conheço. Mal posso esperar para tê-lo em meus braços, quando nem vou mais lembrar dessas ultrassonografias. Mas por enquanto, curto muito ter ele aqui sempre comigo e me contento em esperar o próximo mês para o nosso próximo encontro através da telinha do médico.