Medos

Eu sei que por enquanto você não sabe o que significa medo. Aliás, por enquanto você nem tem um cérebro formado ainda para saber de nada, mas por aqui do lado de fora de mim, existem várias coisas boas e ruins e boas e ruins ao mesmo tempo, e uma delas é o medo.

Espero que você só conheça essa palavra com bastante anos de vida, mas você provavelmente vai senti-lo um pouco antes. Esse sentimento toma conta de você sem você pedir. Ás vezes é pro bem, mas na maioria das vezes esse sentimento só te trava e te impede de fazer coisas, que normalmente são bem legais, tipo ter um filho.

O medo tem um aliado muito grande que se chama desconhecido. Esses dois são uma dupla dinâmica! Eles crescem juntos também, o que piora muito as coisas. Quanto maior o desconhecido, maior o medo. Por exemplo, eu estou aqui enfrentando um grande desconhecido pra mim: a maternidade. Aí, vem o medo de fazer tudo errado junto, de me perder de mim mesma e de viver só de culpa (outro sentimento ruim, que depois te explico melhor). E é grande. Mas provavelmente, quando eu estiver esperando seu irmão/irmã, não me sentirei da mesma forma. Já vou ter enfrentado esse desconhecido e o medo fica menorzinho e/ou chega de outras formas.

Mas preciso te confessar que tem desconhecidos que eu sinto menos medo, e posso até dizer que sinto uma felicidade. Por exemplo, mudar de cidade! Já te adianto que você vai chegar em uma família que se muda muito e acho que você vai gostar disso também. Eu e seu pai simplesmente amamos e acho que conseguiremos te contagiar com essa vibe. Esse desconhecido nos proporciona um monte de dores de cabeça, mas tentamos não focar muito nisso e quando lembramos de todos os lugares por onde passamos, só nos vem coisas boas na mente e no coração, como os lugares incríveis que visitamos, as culturas que tivemos o privilégio de conviver tão de perto, e principalmente, as pessoas maravilhosas que conhecemos e com que pudemos crescer como seres humanos. Filho (a), esse desconhecido é maravilhoso!

Resolvi te escrever sobre isso, pois eu fico pensando muito nas coisas que você vai ter que enfrentar quando não estiver mais aqui dentro de mim. Não vou conseguir te proteger tanto. Não vou poder evitar muitas das suas maiores dores e temores. Não vou conseguir curar um coração partido por um amor, ou uma doença que possa te acometer. Mas posso te prometer, meu bem, que por maior que seja o medo que você tenha, a dor que você sinta, eu estarei aqui pra chorar com você, te fazer um carinho, te dar colo e cafuné. Mas além de mim, e principalmente, você terá o maior Consolador de todos aos teu lado. Ele vai te dar um amor que eu nunca vou ser capaz de sentir, vai te dar um paz que nem brisa fresca no verão e você vai ter um coração cada dia mais grato e forte por causa disso.