Palavra



Vivemos cheios dela.
p a l a v r a
Gosto dos seus sons e de suas cores
acácia, papaia, carambola, justiça, agora, uva
louvor, amarelo, velho, anis, ângulo, capim-limão, cura

Dentro de mim ela é linda,
assim como nas letras de uma canção
Ela sai de mim infinita
e já não tenho controle de sua direção

Ela entra em você diferente e em ti faz outra morada
Reflete em seus espelhos
e te oferece outros sentidos,
mesmo calada

Queria mesmo é morar dentro dela,
onde as letras se dão a mão
Dizendo a cada sílaba, que para ter palavra
 é preciso comunhão.

A procuro constantemente para descrever um sentimento,
um sabor, um cheiro, uma pessoa, uma dor
Mas que impossível missão!
Graças a Deus pela poesia
que direciona a palavra para o coração.





sem ele por perto



sem ele por perto, me rendo ao tempo
este se arrasta comigo pelos dias vazios
em nada vejo graça, sentido ou orientação
sou só caos e drama e sou só neles também

sem ele por perto, me rendo aos poemas
estes me levam para dores e para outros amores
me distraio em cada linha e em cada linha o acho
sou reflexo, somos, eu e ele. ele e eu.

sem ele por perto, me rendo ao Vento
este me sopra para um lugar de paz
tento me deixar leve e tranquila, e assim o sou
chego lá e é lar e aqui é só espera. 

Vida Toda



Hoje eu abri a janela vi lá fora passarinhos, canções e amores
Era tudo um coisa só, misturados feito um caleidoscópio da vida
Era mais bonito assim quando eu via tudo junto fazendo bagunça na minha mente,
desafiando as leis que fui criando com o tempo, colocando partes que eu achava que era impossível de serem colocadas juntas.
A partir de então, comecei a juntar tudo.
Dei nome de cores para as pessoas e colori algumas canções,
chamei de dia meus medos e alguns caminhos clarearam
perfumei minhas palavras e tudo ficou melhor depois de dito
E fui levando a vida assim, olhando para ela como toda e achei bem mais bonito viver.

por-vir de novo



o que diria eu das coisas que hão de vir?
e dos poemas que surgirão em minha mente de uma hora pra outra
como frases, como fotos, como dias?

e que sabedoria vidente tenho eu para poder afirmar
que os dias serão melhores, que a vida será mais fácil,
que haverá essa luz vindo da janela, poesia a todo instante e mais tempo de ficar com ela?

aprendi a me soltar dos laços vindouros e me amarrar no presente
que o próprio nome diz, é dado como algo novo pra mim
eu o aceitei e o tendo em minhas mãos,
aprendi a não mais esperar, nem fazer previsões

o presente me dá sonhos e desejos
e é com eles que sigo para o novo
um ano novo, um dia novo, um segundo novo

de novo.





poema para o meu coração



ah meu coração!
aquete-se nas horas que passam
descanse em cada segundo
pois o amanhã há de vir

coração, para que tanta agonia
tanta saudade do que ainda virá?
se entregue na folia de cada dia
que o carnaval já vai chegar

coração querido, não existe segredo
e eu insisto em todo dia te falar
pra você se entregar e não ter medo
pois quem ama, já sabe esperar.

meu caro coração, fique quietinho
bater tão forte não te leva a nada
chame seu amigo, suspiro
para que dancem juntos na madrugada

meu bom coração, o que mais te falar?
quero mais palavras para te fazer sorrir
a razão me falou para eu te aconselhar
mas eu, na verdade, só quero te ouvir.

das pessoas perdidas.


Outro dia desses, estava lendo um livro e compartilhei com uma amiga sobre ele. O livro fala sobre realizações de sonhos, em acreditar em você, na sua essência.
Logo de primeira, a autora explica como estava confusa no mundo. Ela não sabia o que queria da vida muito bem lá por volta dos seus 18 anos (quem sabe, né?), mas sabia muito bem o que não queria, e o livro vai se decorrendo sobre esse dom de se auto conhecer e se permitir. E lendo os relatos da autora, essa minha amiga me falou: "Que ótimo esse livro. Adoro pessoas perdidas!"
Fiquei pensando durante a tarde toda naquele resumo dela sobre o livro e percebi que ela mesma era uma das pessoas mais perdidas que eu conheço, e veja bem, eu também era! E por isso nos damos tão bem!
Comecei a pensar em todas as pessoas que eu admiro/tenho amizade/gosto de estar junto e percebi que nenhuma delas, nenhuminha era uma pessoa "achada". Todas elas não batem muito bem da caixola, não sabem muito bem o que é certo ou errado, não sabem muito bem responder onde se encontrarão daqui há 5 anos, ou 2 anos ou em muitas das vezes, 1 mês. Algumas delas nunca fizeram faculdade, nem sabem o que querem direito, algumas delas já se formaram,  mas hoje trabalham em coisas completamente diferentes. Poucas delas tem um discurso pronto sobre os planos para o futuro, e as que têm, falam meio que rindo, pois sabem que tudo pode dar errado, e... tudo bem!
E também comecei a perceber que essas mesmas pessoas são aquelas que amam viajar e contar pra você da viagem, são aquelas que sempre aceitam um convite para estar com os amigos sem motivo específico nenhum, que inventam eventos só para estarem  juntos. São aquelas pessoas que compartilham bandas novas que ouviram, que leem mais livros em um ano do que as pessoas "comuns" leem na vida. São aquelas que dão mais valor as pessoas do que as coisas, ao o momento do que ao tempo. São mais criativas do que práticas, são mais coloridas do que padronizadas, são mais justas do que corretas, são mais sonhadoras.
Eu vivo cercada de gente assim, perdidinhas da silva. E quando penso nelas, lembro da Beatriz do Chico, que o ensinava a não andar com os pés no chão. Essas pessoas me ensinam a flutuar, a viver com a cabeça nas nuvens, acreditando nos meus sonhos e sendo completamente perdida neles.
E descobri que também adoro pessoas perdidas, Carol.

Quem quiser ler o tal do livro, clique aqui.

desejos de ano novo.



quero andar outros caminhos, cansei daqui.
preciso sempre de novas paisagens, o mesmo me faz menos
preciso não saber o que virá na próxima esquina,
preciso não saber falar a língua, preciso me reconhecer no que eu não conheço ainda.

tenho em mim esse desejo latente para que tudo seja nada igual
preciso que depois de um dia ensolarado, a chuva venha com gotas gordinhas
preciso saber não esperar por nada, me surpreender ao virar a página
preciso começar a escrever sem precisar saber em quantas linhas

quero contar  pra você algo novo todos os dias
preciso não caber em tantas cenas, em tantos livros, em tantos discos
preciso dizer o que eu sinto sem ter tanta pressa, sem ter tempo
preciso sair de mim, rir de mim e te envolver de alento

tenho em mim essa certeza de que o que virá e bem melhor do que o agora
e preciso disso, por ora.

crescente amor.


crescemos.
crescemos pra dentro, amor.
vimos correr por entre nossos dias sorrisos e lágrimas
abraços e despedidas
e tudo isso nos fez maior, nos fez grande
corremos, andamos, caminhamos, paramos
e olhamos pro lado e vimos um ao outro
e dizemos sim diariamente
não só pro amor mas pro crescer
e crescer é isso, compartilhar o amor
e o amor é isso, compartilhar o crescer.

Como escolher um livro.



Nesses dias por aí, descobri uma coisa importante: não se pode escolher um livro com pressa.
Pressa e livro não combinam.
Ao escolher um livro você precisa ter onde repousar a mente. Precisa piscar pra cada capa pra ver se ela te sorri de volta, precisa passar os dedos em suas folhas e ver se elas são pesadas ou leves, e depois olhar pra dentro de você e ver se você está pesado ou leve.
Ao escolher um livro, deve encontrar-se com o autor ali no título e ver ele te dizer: aqui tem algo bom. Ou não. Deve prestar atenção em si mesmo e no momento.


Perca tempo na busca. Não olhe o relógio, as pessoas, o preço, o tempo. Demore na escolha.


Depois de escolher e de ler, não se apegue. Livros bem escolhidos não devem ficar em prateleiras. Doe, dê, empreste, presenteie. Compartilhar é sempre bom. Compartilhar livros é melhor ainda.


Fazendo assim, tenho a impressão de que quem te escolherá são os livros e não você a eles.


Música pra ouvir escolhendo livro: tempo algum

processo criativo.



persisto nessa mania de querer que tudo vire poesia
mas o que posso fazer se meu coração carrega rimas de amor?
e o que farei com meus pensamentos cheios de esperança de dias melhores?
preciso colocar tudo em um papel, como se ele absorvesse toda a beleza do mundo
e como se as minhas palavras fossem belas canções que o transformaria em partituras a serem tocadas por quem as encontrassem espalhadas nos jardins.

eu as ouviria calmamente, escutando cada nota e voltaria para o papel e escreveria outra poesia.

talvez.



ele se perguntava diariamente,
de hora em hora
será que ela volta?
será que um dia veio?
a companhia de quem fica são as dúvidas.

será que conseguirá viver?
e se prende em lembranças, em esperança, em si mesmo

os dias com ela eram plenitude
não importava onde ela estivesse
se com ele, se dentro dele, se pelo mundo


mas depois de um tempo,
ele já não esperava por ela
só queria a paz de estar só
sem talvez.


[inspirado em um monólogo sensacional do Álamo Facó, Talvez.]

o tempo.


e o tempo passou como moça no calçadão
leve, belo, colorido cheio de sorrisos de amor
me beijou a mão como um bom cavalheiro
abriu portas, me socorreu, me esclareceu
me transformou

eu passo por ele com reverência agradecendo pela sua ação em mim
tudo que me trouxe foi novidade
e esperança.

ele é gentil.
pelo menos comigo ele tem sido.

quem é da poesia?


quem é da poesia é assim
fala nela, com ela, sobre ela
dia e noite.
toda palavra já se forma em verso
e todo o verso já se faz canção.
quem é da poesia não precisa de inspiração
a vida já lhe é suficiente para criar sempre
linhas com rimas e dias com sol
cada momento é tudo que tem
para abraçar com palavras o mundo ao seu redor
e para lembrar pra quem passar dos detalhes da vida
do bonito do dia cinza
das cores
do vento.

quem é da poesia?

[dedico essa poesia à Lys, que é muito da poesia. me inspirei nela. tudo que ela fala rima com a vida.]

um e o outro.


quem olhou para eles
viu que pertenciam um ao outro
tudo já estava no lugar, arrumado para o eterno encontro
tudo o que falaram era correto um para o outro
ecoaram amor à todos que viviam aquele momento
não pouparam palavras de amor, abraços sinceros nem beijos carinhosos
se deram amor um ao outro e assim todos receberam
foram pra casa como se libertassem da solidão e das dúvidas
e lá viveram
como se não houvesse outra maneira para viver
me contaram essa história repetidas vezes
mas não através das palavras
era só vê-los juntos que já tinha entendido toda a história.

Nossa Rotina.


E foi assim que começou mais uma manhã,
com ele dizendo bom-dia e ela se desenrolando no lençol
e se enrolando em beijos e sussurros
E o dia que despertava lá fora, iluminou através das cortinas
o amor e seus segredos foram abertos,
saídos de corações sinceros de sentimentos
A rua andava com seus sons e vidas
eles andavam com um sorriso no rosto e cantarolando canções
ela se sentia uma princesa e ele rei de todo o reino do amor
As horas se escondiam na ansiedade daqueles corações
demorava o momento do reencontro
E então quando o Sol beijou mais uma vez o mar
Eles voltaram para casa, passando pela mesma rua
trocando olhares e sonhos
E foi assim que terminou mais uma noite
com ele dizendo boa noite e ela se enrolando no lençol
e se desenrolando de incertezas e dúvidas.

[Esse post é pro Felipe, meu amor, meu ele, minha metade. É assim que eu quero viver todos os dias com você]

Sobre o dançar


Ele me chama para dançar todas as manhãs
esse convite é feito pela sua voz suave
e pela sua mão de amor estendida em minha direção.
Confesso que nem todos os dias aceito dançar com Ele,
mas quando venço tudo de mim que há em mim e finalmente aceito,
nunca me arrependo.
Ele conhece meu passo, meu ritmo, minha música favorita
Danço com Ele como se nunca tivesse feito outra coisa na minha vida
A coreografia se faz perfeita do começo ao fim.
É só com Ele que danço sem tropeçar, e quando penso que tropeço
Ele gentilmente me mostra que tudo faz parte da coreografia,
que nada sai do compasso quando é Ele quem me conduz
Todos os movimentos são bem pensados, lindos e completos.
E apesar da minha insistência de querer dançar sozinha, fazer meus solos,
nenhum dia da minha existência Ele deixou de me convidar para dançar.