por-vir de novo



o que diria eu das coisas que hão de vir?
e dos poemas que surgirão em minha mente de uma hora pra outra
como frases, como fotos, como dias?

e que sabedoria vidente tenho eu para poder afirmar
que os dias serão melhores, que a vida será mais fácil,
que haverá essa luz vindo da janela, poesia a todo instante e mais tempo de ficar com ela?

aprendi a me soltar dos laços vindouros e me amarrar no presente
que o próprio nome diz, é dado como algo novo pra mim
eu o aceitei e o tendo em minhas mãos,
aprendi a não mais esperar, nem fazer previsões

o presente me dá sonhos e desejos
e é com eles que sigo para o novo
um ano novo, um dia novo, um segundo novo

de novo.