Uma semana linda

Chegamos na nossa 38 semana. Temos ainda mais duas semanas pelo menos de espera pelo nosso menino lindo, e nesses últimos dias eu acordo e penso: será que é hoje? hehe. Fico bem mais atenta a cada sinal que meu corpo possa me dar da chegada dele. Mas continuo bem em paz nessa espera. Confesso que estou surpresa comigo mesma quanto à isso.

Que coisa louca essa de não saber quando será o dia mais importante da sua vida! Tem gente que não aguenta de ansiedade e já marca logo o dia desse encontro, mas nós seguimos aqui confiando na data que ele quer vir será a melhor, e trabalhando nossa paciência e nossa confiança no nosso Deus, que sabe o tempo ideal para todas as coisas. 

Nessa semana vivemos momentos muito especiais! Na terça, fomos à mais uma consulta com o nosso obstetra que disse que tudo segue o fluxo correto. Revisamos nosso plano de parto, conversamos bastante sobre um monte de coisas que ainda nos pairava dúvidas e saímos de lá com o coração mais leve e confiante que o grande dia será bem tranquilo na medida do possível. 

Na quarta, acordei às 6h da manhã meio inquieta. Achei que era mais um sinal de que o dia tava chegando, e era. Só que era a chegada de um outro menino muito importante. Alguns minutos depois, recebi mensagens da Carol falando que já estava no hospital com sua bolsa já rompida e que naquele dia seria o dia que conheceríamos nosso Caê! What?! Quase morri do coração!

Algumas (intermináveis) horas depois, recebo uma foto que nem consegui olhar direito de tantas lágrimas nos meus olhos. Que emoção ver aquele serzinho que vínhamos falando e esperando há tanto tempo! Ver um olhar tão emotivo nos olhos da minha amiga, que agora já tinha passado de gestante para mãe. E a gente achando que eu ia viver isso primeiro, mas o que a gente sabe dessa vida né? Agora já tenho mais um lindo relato de parto para me deixar ainda mais tranquila em saber que no fim o que importa mesmo é ter um bebê lindo e saudável nos braços. Ah, Caetano, meu lindo...quantas coisas você já nos ensinou! <3

Incentivado pela chegada de Caê, Felipe já começou a quarta-feira cheio de resoluções e querendo resolver tudo possível para deixar tudo pronto no trabalho para a chegada do nosso bebê. Eu já fiz os últimos dos últimos preparativos aqui, tentando finalizar ao máximo todos os meus trabalhos também. Como essa experiência da espera já nos muda, nos transforma de um jeito tão forte. Imagino que quando ele chegar, será um aprendizado a cada segundo.

Na quinta-feira, tivemos outra experiência incrível! Como já disse em quase todos os meus posts anteriores, uma das coisas mais importantes que fiz nessa gravidez, foi ter me matriculado no Yoga. Através dessa atividade, que ainda continuo indo por sinal, eu não só acalmo meu corpo, lhe dou mais força, como aprendo a respirar e a acalmar minha alma e meu coração. E além disso tudo, eu conheci pessoas incríveis, uma delas foi a Rita que fez algumas aulas com a gente e que ofereceu a ministrar o ritual da Despedida da Barriga.

Antes de ficar grávida, nunca tinha ouvido falar nesse ritual. Mas achei fantástica a ideia de ter um momento de falar tchau pra essa minha pesada companheira e de dar as boas vindas ao nosso bebê. A cerimônia da barriga é feita na 38 semana, exatamente por ser a semana onde os médicos consideram que o bebê já está prontinho para sair. E aí, já podemos chamá-lo. hehe.

Nunca participei de outra despedida da barriga, mas nessa, tivemos momentos de dança com o marido, danças em grupo, e um momento que considerei o mais lindo de todos: o lava-pés. Os pais lavam os pés das mamães que estão numa bacia com água quentinha cheia de camomila. Massageando os pés, o papai vai falando palavras para o bebê, dizendo o que vier no coração. Depois disso, cada pessoa ali presente, também fala palavras de boas vindas pra barriga da grávida. Nem preciso falar que morri de chorar também né? Foi lindo. Me senti muito privilegiada de viver esse momento.

No fim de semana não paramos de pensar que poderá ser o último que viveremos como dois. Não conseguimos parar de sorrir e de imaginar esse encontro. Pode vir, filho querido! Queremos você aqui mudando toda nossa rotina, nossa vida e nosso olhar pra ela.

Família e amigos, fiquem tranquilos! Assim que Noah der sinais a gente vai contar pra vocês. Ok? ;) #vemnoah

 

O começo da minha maior viagem de todos os tempos

Eu escrevo aqui para poucas pessoas me lerem, na verdade, eu escrevo mais pra mim mesma. Me preocupo muito pouco em estar usando um bom português, confesso. Ou em muitas vezes, até em estar fazendo sentido. Deixo o sentimento escorrer e vou indo. Então, já peço desculpas para você que me acompanha, se as vezes te deixo confuso ou pulando da cadeira com vontade de tirar ou colocar algumas vírgulas e/ou crases por aqui. 

Eu tenho e sempre tive essa necessidade de deixar registrado em algum lugar os momentos da minha vida. Desde sempre tive agendas e diários onde eu escrevia sobre o meu dia a dia, minhas alegrias e angústias e tenho muitos deles guardados até hoje. De vez em quando eu leio um ou outro e releio pensamentos de frases de uma Mariana que nem reconheço mais. Acho tudo isso incrível! É demais ver como eu cresci em tantos aspectos, e que como um problema era tão grande em uma fase da minha vida e hoje em dia em nem lembrava mais dele.  Me dá uma alegre sensação de poder recorrer à histórias importantes da minha vida e de saber que quando eu morrer, um pouco da minha história ficará guardadinha em algum lugar pros meus netos e bisnetos, se quiserem, poderem ter acesso a isso tudo. Mas, nesse primeiro momento é pra mim mesma. Mas a vida nos apresenta segundos momentos sempre...

Disse isso tudo para dizer que essa necessidade de escrever, me voltou muito forte quando eu descobri há 4 meses atrás que eu estava grávida. Sim, pois é! Essa é a nova fase da minha vida que eu precisava ter um espaço para escrever sobre ela. E acabei de me dar conta, que não vou escrever mais só pra mim, e sim para o meu filho (a). Não que esse blog virará um diário de gravidez (nada contra a diários de gravidez). Ele será, como tem sido mesmo, um diário da minha vida. Vida essa que agora tenho o privilégio de multiplicar e são tantos sentimentos e pensamentos novos e intensos que eu precisava voltar aqui para organiza-los e registra-los.

É engraçado essa coisa de estar grávida. Por que na verdade não muda muita coisa no seu dia a dia (por enquanto que minha barriga ainda está com um circunferência razoável pelo menos) e ao mesmo tempo muda tudo. Ás vezes eu me esqueço completamente que estou grávida, e ás vezes é a única coisa que eu consigo pensar. Penso muito nessa nova aventura que estamos embarcando, nessa nova viagem. E só desejo, como em todas elas, que eu sempre esteja de coração aberto para aprender e sem ansiedade para viver intensamente cada momento dela.

Primeira foto da "barriga"na semana que entramos na casa, aqui em Santos. 

(10 semanas ou 2 meses e meio de gravidez)

 

 

Casa nova de novo - Santos, SP

Acabei de perceber que o último post desse blog foi sobre minha casa nova em Macaé. Post esse que já estava atrasado uns 5 meses. E hoje já me encontro aqui na minha casa nova em outra cidade. Essa é a minha vida! hehe.

Chegamos do Bahrain em Novembro do ano passado e fomos morar em Macaé. Achei que ficaríamos lá por um tempo maior do que ficamos no Bahrain, mas acabou que foi mais o menos a mesma coisa, uns 7 meses. Confesso, que não estava esperando por essa mudança, mas estou sempre aberta a ela. Sempre. Pode parecer loucura para alguns, mas pra gente faz sentido, então mergulhamos de cabeça e de coração abertos para essas oportunidades da vida.

Acreditamos que a vida é muito curta para fincar raízes e ficar a vida inteira morando em um lugar só, em uma só casa. Vemos que ganhamos muito com essas mudanças e é claro, perdemos muito também. Mas na nossa balança, até hoje, tem valido a pena.

Bom, mas por enquanto, viemos aqui pra Santos, estado de São Paulo, onde a empresa de Felipe está abrindo um escritório. Devemos ficar por aqui por um tempo mais longo, mas nada garantido. Nunca se sabe, gente. hehe.

Apesar de estarmos mais longe dos nossos amigos de nas nossas famílias, estamos adorando morar aqui. Estamos bem mais satisfeitos do que estávamos em Macaé. Moramos em um bairro super tranquilo, onde conseguimos fazer tudo a pé. Tem muitas opções de restaurantes legais, e coisas legais para se fazer. A cidade é bem amigável e bonita. Tem uma orla bem agradável e limpa, me lembra muito Niterói só que é bem menor, o que me faz gostar dela ainda mais.

Nossa casa fica em uma vila super tranquila. Toda vez que entro aqui tenho uma sensação boa, de que era aqui que eu deveria estar mesmo. É isso que me consola da saudade e de toda vez que temos que pegar mais de 6 horas de estrada para estarmos com nossos queridos, a certeza de estar onde deveríamos estar nesse momento.

Em breve (prometo que em breve mesmo), voltarei aqui com mais novidades e novas aventuras. :)

 

casa-santos